Sobre despertar.

Eu mudei. Eu mudei muito. Quem me acompanha a muitos anos sabe que eu mudei. Mudanças acontecem com ações. Mudanças na verdade são reações à ações, escolhas e fatos. E a como lidamos com tudo o que nos acontece, qual lição tiramos, como conseguimos evoluir a partir desses ensinamentos que a vida nos trás.

Na verdade, muita coisa aconteceu comigo nesses últimos anos. Meu pai faleceu e isso me deu um clique para cuidar da minha saúde, me descobri uma pessoa comunicadora, criativa, amante de esportes. O meu blog teve uma fase linda da época em que consegui emagrecer e me descobrir cada vez mais, mas o que muitos de vocês não sabem é que mesmo emagrecendo eu não estava 100% plena, feliz, segura de mim. O famoso equilíbio entre corpo, mente e espírito, sabe? Então. Nunca rolou.

Eu só estava de fato pensando no corpo, e não conseguia me fortalecer em outros sentidos. Para cada kg perdido, mais insegurança. Eu não estava desperta, mas sim entorpecida pela neura de ser cada vez mais aceita. Pelos outros, inclusive. E é aí que tá o erro. A famosa “falta de amor próprio”. Hoje eu assumo isso, de coração aberto, que na verdade, por mais linda, magra, ruiva, meia-maratonista, escritora, capa de revista etc etc etc EU NÃO ESTAVA SENDO VERDADEIRA COMIGO. Mas foi preciso eu enfrentar todos os meus demônios, mudar e sofrer muito, para finalmente entender o que estava acontecendo.

O fato é que não estar confiante e segura de mim acabou me guiando por um caminho o qual eu não estava conseguindo enxergar direito, estava cega.  Caminhos esses que me levaram a pessoas que abusaram da minha bondade, vulnerabilidade, insegurança e me destruíram por dentro, derrubaram todo o castelo de areia que eu estava construíndo com muito carinho, incluindo o meu corpo e minha saúde. Tanto física como mental.

Eu havia encontrado o amor da minha vida, e quando minha ficha caiu e comecei a despertar, percebi que sim, eu na verdade estive em um relacionamento abusivo. Com o amor da minha vida. E isso doí. Assumir isso doí. Se priorizar e terminar uma relação assim doí. Mas doí em um nível que eu não desejo para ninguém. Ele me afogava e me salvava ao mesmo tempo. Afoga, salva, afoga, salva. É assim que a coisa funciona dentro de uma relação abusiva. Falei disso nesse vídeo depois de muitas doses de coragem, meses de terapia e dentro de um processo de cura, que ainda está em andamento. Ou melhor, mal começou.

Eu sofri, eu engordei de novo, e para me “curar” me vi em outra relação abusiva. Sim, a comida me venceu por um bom tempo, adquiri uma compulsão alimentar que só fui conseguir controlar esse ano. E hoje eu posso dizer que não culpo ninguém por tudo o que rolou. Não foi culpa de quem cruzou o meu caminho, nem foi culpa minha também. Eu apenas não estava desperta. Eu assumo a responsabilidade por ter feito isso comigo mesma. Por ter me envolvido dessa maneira em pequenas doses de autodestruição. Eu precisava passar por isso, e hoje tenho profunda autocompaixão, troquei o ódio por mim mesma por um sentimento puro de: “tá tudo bem!”

minha cara de ‘tá tudo bem!’

Esse vídeo que falei sobre a minha relação abusiva abriu um portal mágico na minha vida, sem querer. Ou melhor,  talvez o universo quis exatamente que isso acontecesse. A partir dele consegui descobrir outros tipos de relações abusivas que eu tinha me enfiado a vida inteira, como a de amizades por exemplo, mas isso lá pra frente eu explico melhor também. Sei que de lá pra cá, toda minha catarse tem sido um processo gratificante demais. Eu tenho seguido em busca de encontrar a minha melhor versão, de refazer minhas rotas, de me encontrar, de me equilibrar.

Nossa energia vital e despertar da consciência é algo que está completamente associado a tirar da frente “camadas” em excesso que nos deixam entorpecidos, meio que em um estado automático nos impedindo de nos acessarmos.

Exemplos de entorpecentes: o consumo exagerado, se alimentar de produtos industrializados, passar horas dentro da internet procastinando, não movimentar o corpo, não se conectar com a natureza ou colocar um pé na terra, nadar, contemplar o céu, se comparar com o outro toda hora, ou até mesmo não respirar fundo. A gente esquece até de respirar fundo.

Tudo, absolutamente tudo na nossa sociedade hoje funciona como uma distração para fazer com que fique difícil nos conhecermos de verdade, nos conectarmos com nosso ser interior, com o todo. A minha distração no caso era o meu corpo. Isso me deixou pior do que quando eu estava acima do peso e sedentária e daí aconteceu tudo o que aconteceu, eu atraí coisas e pessoas para minha vida as quais não me respeitavam, pois no fundo eu não me respeitava. Conseguem entender? Todo dia pra mim é um processo, uma desconstrução diferente, um passo além. Todo dia respirando fundo me questionando qual o meu propósito aqui. A gente deve ter vindo parar nesse plano por algum motivo, certo?

Na minha opinião a sociedade tá louca e doente, a gente esquece de amar, de ouvir o outro, de cuidar do Planeta Terra. A gente esquece de cuidar da própria saúde e de nós mesmos, achando que somos imortais mesmo nos enchendo de porcaria e vivendo sedentários, quem dirá cuidar do planeta. É muito individualismo e prepotência na raça humana, é uma destruição coletiva e só piora.

há tanta vida la fora

As vezes eu me sinto remando contra a maré no processo de despertar, parece que tá todo mundo seguindo o protocólo de “como ser alguém na vida” que existe antes mesmo de nascermos, com nossos pais escolhendo nosso nome e nos registrando em um pedaço de papel. Tão bitolados mas esquecemos, ou passamos a vida sem saber, quem realmente somos. Que “alguém na vida” tão cobrado pelos outros, somos de verdade.

Pra começar não temos matérias que realmente importam nas escolas. Ninguém nos ensina a sermos melhores humanos, a nos alimentar bem, a ter empatia, a despertar nossa sexualidade, a amar o planeta em que vivemos. Só aprendemos coisas desnecessárias para “sermos alguém na vida” lá na frente e deixar nossos pais orgulhosos. Uau.

Todo o resto, como coexistir, como se conhecer, precisamos aprender sozinhos e não é fácil sair dessa matrix que vivemos, mas fico feliz pelo universo estar abrindo esses caminhos para mim. Se fosse pra resumir como eu acho que deveria ser nossa existência na Terra: Avatar. Sim, o filme. Era pra ser aquilo mas estamos na verdade destruindo nosso próprio lar, nosso templo (o corpo) e nossa mente com mais e mais camadas de entorpecentes.

Depois de tudo o que passei ao longo dos últimos anos, todos os ensinamentos, todos os caminhos trilhados que me trouxeram para hoje, escrevendo esse texto, eu decidi virar a página. Decidi despertar a minha guerreira interior, decidi ser saudável de verdade. Sem máscaras, sem maquiar tudo, sem fingir. Saudável de corpo, de mente, de espírito. Livre, verdadeira. Hoje eu estou abrindo minhas asas e preparando minha alma para respirar.

E pra começar essa jornada, decidi fazer uma viagem de autoconhecimento ao redor do Brasil. Na verdade já estou fazendo. Enquanto escrevo esse post estou em Foz do Iguaçu. No próximo post vocês vão entender o porque decidi fazer isso, mas no vídeo abaixo expliquei um pouco!

Estourar todas as bolhas, me reconectar comigo, coexistir em sociedade, me conectar com outras mulheres e com a natureza.  Por aqui vocês vão acompanhar minhas aventuras, em busca da minha melhor versão. Entendam isso como um novo capítulo da minha história, na verdade como o início da minha história, afinal agora vocês vão finalmente poder me conhecer de verdade, junto comigo inclusive, cada dia é uma surpresa por aqui.

Finalmente tenho seguido meu coração, desapegado do ego e me jogando dentro desse oceano gigante que é o meu eu interior. Isso inclui dar um “restart” no blog, pois muitos dos posts antigos estavam com energias diferentes da minha frequência atual, muito do meu relacionamento abusivo estava nas entrelinhas aqui, em palavras escritas por uma apaixonada iludida, textos que hoje não fazem mais sentido para mim, e não queria trazer essa bagagem e vibração toda para o meu momento atual.  Por isso o blog está se reiniciando do zero também, (mas o canal continua com todos os vídeos lá, fiquem tranquilos! rs)

Não sei o que vou encontrar nesse caminho, mas te proponho a descobrirmos juntos. Quem vem despertar comigo? 🙂

Reconectar, Resignificar, Recomeçar. 

Me segue no insta e se inscreve no canal também para acompanhar os novos vídeos! 🙂

Beijos!

 

Anúncios

5 comentários sobre “Sobre despertar.

  1. Daiane Lima da Silva disse:

    verdade Camys , achei lindo este texto que vc escreveu preciso também me reconectar , me reajustar … eu apoio a sua causa bjos amiga tudo de bom

  2. Adriana Cristina de Oliveira Gomes disse:

    Nossa, que lindo. Vi muito de mim em você, sua história. Tudo faz sentido! Estou verdadeiramente orgulhosa de ti e da sua força e por compartilhar conosco e querer despertar a força de outras mulheres junto contigo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s